Arquivo da categoria: Rogério da Costa

Para entender a TV Digital: Bibliografia 5

O Poder da TVPara uma real compreensão da amplitude e dos impactos desta atual transição da TV Analógica para a TV Digital, faz-se primeiro necessário, evidentemente, uma diligência acerca da extrema relevância deste meio de comunicação em nossa sociedade contemporânea. Em seu breve livro, O Poder da TV, o autodeclarado esquerdista e polêmico José Arbex Jr. revela alguns aspectos dessa investigação, decompondo os elementos que fazem da TV o meio de comunicação soberano de manipulação do imaginário coletivo – com enfoque especial para o contexto brasileiro – explicitando os processos de simulação imagéticos cujo espectador é convidado permanentemente a identificar a realidade como a sucessão de imagens que se é transmitida pela tela, transmitindo ao público um confortável acesso aparentemente direto e imediato com o suposto real.

 

Segundo Arbex, a dinâmica da imagem requer respostas rápidas de quem a ela está submetido, por meio de reações reflexas e imediatas, impedindo a possibilidade de reflexão, constituindo-se num mecanismo extremamente eficaz de se manter oculta a estrutura que está na base do recorte segundo a ótica de quem controla os meios e a tecnologia dessa produção. A velocidade torna-se, assim, componente fundamental desse processo que exige sucessivos e novos eventos para despejá-los num público já adaptado a este ritmo frenético em que o excesso de informação, paradoxalmente, tem como objetivo tranqüilizar e anestesiar o indivíduo imerso ao caos, conduzindo-os a um estado de desinformação, redundância e não registro das informações.

 

Continuar lendo

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Gramsci, Imagem, Jornalismo, Manipulação, Mídia de Massa, Novela, Pangea Day, Rogério da Costa, Televisão, TV Aberta, TV Digital

Para entender a TV Digital: Bibliografia 1

Em seu livro A Cultura Digital, Rogério da Costa faz uma análise geral de como o digital encontra-se cada vez mais presente e inserido na vida de um número cada vez maior de pessoas através da interação com os mais diversos aparelhos eletrônicos. O autor denota como a interação das pessoas com estes aparelhos se dá através da relação do indivíduo com o ambiente de informação – ou interface – que funcionam essencialmente como filtros de informações, apresentando ao usuário apenas aquilo que é do seu inteA Cultura Digitalresse.

 

O autor também destaca o indício da chamada “economia da atenção”, em que a grande moeda seria explorar a atenção consciente das pessoas e o que justificaria o poder das interfaces em prender essa atenção, motivos que vão desde o estímulo visual da imagem em movimento à necessidade humana de se manter informado e, principalmente, de se comunicar. Nesse contexto, a interatividade é colocada como fator-chave no despertar da atenção humana.

 

Continuar lendo

1 comentário

Arquivado em Convergência, interatividade, Novas Mídias, Rogério da Costa, Televisão, TV Digital