Plus ça change, plus c’est la même chose

Casa-Grande & SenzalaDa célebre máxima francesa ”Plus ça change,  plus c’est la même chose” à idéia do escritor italiano Lampedusa de que é preciso que tudo mude para que tudo fique como está, passando pelo conceito de “via prussiana”, elaborada por Lenin – em que conservam-se na nova ordem fundada claras sobrevivências das formas anteriores – à de “revolução passiva”, cunhada por Gramsci – cujos processos de modernização promovidos pelo alto há conciliação entre diferentes segmentos das classes dominantes como recurso para afastar a participação das massas populares – tais concepções clássicas têm em comum o fato de invariavelmente retratarem a maneira como vêm sendo conduzidas historicamente as mais distintas transformações brasileiras nas mais diversas áreas.

No que concerne à atual transição da televisão analógica para a televisão digital terrestre no Brasil, tal processo parece não ser uma exceção à regra, apresentando todos os indícios de que, apesar de toda a euforia tecnológica em torno das novas inúmeras possibilidades ditas revolucionárias na comunicação, o andamento de um assunto tão atual já aparece enraizado sob o estigma da desigualdade e de um sectarismo elitista na tomada de decisões, sufocando a potencial oportunidade histórica de democratização do mais hegemônico meio de comunicação brasileiro: a televisão.

Este blog tem o intuito de debater, discutir, criticar, examinar pormenorizadamente e instigar a reflexão diante da maneira viciosa como está sendo concebida a transição brasileira para a televisão digital e os impactos – negativos e positivos – perante todos os envolvidos neste processo, com a imensa pretensão de despertar a indignação dos indivíduos que tenham acesso a este conteúdo, na talvez ingênua esperança de que não tenhamos apenas mais um exemplo de como a classe dominante é especialmente bem sucedida no Brasil, e sim ao menos uma significativa exceção à lamentável regra.

3 Comentários

Arquivado em Gramsci, História do Brasil, Lampedusa, Lenin, TV Digital, Via prussiana

3 Respostas para “Plus ça change, plus c’est la même chose

  1. Augusto

    É sempre a mesma m… sai gov, entra gov, continua tudo igual. E eu que acreditava no Lula.. Pelo menos eu não fui insisti no erro em 2006..

    Falando nisso, olha que blog escroto:
    http://blogdareeleicao.blogspot.com/

    valeu!

  2. Pingback: Pombos-correios e a revolução televisiva « TV Digital no Brasil

  3. Eliza

    Gregor, seu blog está muito bacana, parabéns! Espero que seja mais divulgado. Obrigada pela ajuda!!!
    Beijão!!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s